La Casa de Papel

Acho que é claro que o Netflix funciona melhor com séries do que com filme, mas mesmo assim é preciso procurar, garimpar e para nem sempre cair na primeira sugestão da plataforma para você. Porém, todavia, contudo eu aceitei a sugestão do Netflix sem nem olhar do que se tratava e fui assistir La Casa de Papel, que sorte, que série.

Possivelmente você já deve ter lido ou escutado alguém falar desta série, ela é a queridinha do momento, está bombando nas redes sociais, mas te digo, ela realmente vale a pena e tem tudo aquilo que uma série tem para agradar e viciar.

Primeiro, a estória é realmente envolvente e dinâmica, não tem nenhum episódio a toa ou para encher o horário, toda a primeira temporada traz episódios que apresentam um magnetismo poderoso que te prende do início ao fim. Claro que existem furos e clichês, claro que existem pequenas histórias que não possuem o mesmo poder, mas no geral a série mantém a pegada do início ao fim.

Além do roteiro te trazer para dentro da casa da moeda da Espanha os personagens são cativantes, críveis, reais, e você se identifica com eles, apesar de serem ladrões, e quando você percebe você se sente um dos integrantes do grupo criado pelo Professor (Álvaro Morte), torce por eles e vibra por eles, passamos a simpatizar com cada um dos personagens e até admirar um ou outro, não que a gente não se identifique com os reféns ou policiais, mas cá entre nós quem preferia ser policial no jogo de tabuleiro Interpol ou no famoso Polícia e Ladrão?

Foto: Roberto Garver

Talvez a série não trabalhe cada um dos personagens como eles merecem, mas Tóquio (Úrsula Corberó), Nairobi (Alba Flores) e Berlim (Pedro Alonso) merecem histórias completas, pois são os melhores e a alma da série, mais que o famoso Professor, sem eles não teríamos os sentimentos ambíguos que eles desenvolvem (principalmente Berlim), a sensualidade cruel da Tóquio e nem a inteligência sarcástica e unica de Nairobi. Aliás, Nairobi é a minha preferida.

Falei, falei, mas não falei do que a série se trata… São 8 assaltantes com o plano genial para roubar a Casa da Moeda da Espanha, mas não é um roubo de entrar e sair, é um roubo muito bem arquitetado pelo chamado Professor (o nono assaltante). Eles não se conhecem, não sabem seus nomes (cada um escolheu uma cidade, temos do Rio a Moscou), mas cada um está lá por um motivo ou por um dom. A série é narrada pela personagem Tóquio e traz muito suspense, tensão e ação tanto dentro da Casa da Moeda quanto fora, uma vez que o Professor comanda e controla tudo do lado de fora. Resumindo, a série merece ser vista e destrinchada por quem gosta de uma boa série.

E agora, esperar o Netflix liberar a segunda temporada (parece que em Abril) ou procurar por outros meios no Google?

Criador: Álex Pina
Temporada: Primeira
Onde Assistir: Netflix
Episódio 01 ao 13.
Elenco Base: Álvaro Morte, Úrsula Corberó, Alba Flores, Pedro Alonso, Paco Tous, Miguel Herrán, Roberto García, Enrique Arce, María Pedraza, Fernando Soto, Itziar Ituño e Jaime Lorente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.