Homeland

Homeland

Comecei a ver Homeland totalmente sem querer no domingo passado, e então lembrei que ela estava na lista do Globo de Ouro, onde acabou sendo premiada como melhor série dramática e melhor atriz em série dramática para Claire Danes.

Aliás, Claire Danes é um dos grandes motivos da série ter se dado tão bem, pois parece que finalmente a atriz encontrou um bom papel a altura do seu talento. Sua atormentada agente Carrie é extremamente complexa e tira da atriz ótimos momentos, principalmente na sua obsessão pelo trabalho e o medo de uma certa doença que , até agora, não ficou muito claro para mim.

E a atriz não está sozinha, uma vez que a série tem uma força incrível na atuação dela e de seu suposto terrorista vivido de forma muito boa pelo ótimo Damian Lewis. Até o quinto episódio não tenho medo de afirmar que Homeland é tão intrigante por causa da dupla principal. Damian Lewis está no mesmo patamar de Claire Danes, vivendo um personagem até mais complexo e cheio de reviravoltas. Até porque Nicholas Brody possui várias relações, com a família, o amigo, a agente da CIA, com seu passado e com seu novo futuro.

Deixando o elenco de lado o roteiro da série também é muito inteligente, até pode não parecer muito original, principalmente na relação amorosa entre Nicholas Brody (Damian Lewis), sua esposa Jessica (Morena Baccarin) e seu melhor amigo Mike (Diego Klattenhoff), mas mesmo assim o resultado final é excelente, uma série cheia de alternativas e com uma narrativa atraente e que prende a atenção de quem começa a assistir mesmo que sem querer.

E, aparentemente, a série não quer esconder o grande segredo por trás da volta do prisioneiro de guerra desaparecido por 8 anos, mas mesmo assim consegue criar um suspense forte e envolvente, mostrando toda a qualidade do roteiro e dos roteiristas, pois nem sempre é fácil trabalhar em cima de um fim teoricamente previsível.

Torço que a série siga assim até o fim desta primeira temporada, uma vez que vi apenas os 5 primeiros, mas já recebi a opinião de amigos dizendo que a série teve episódios mais simples e outros inesquecíveis durante esta temporada, agora o objetivo é prepara a segunda parte da maratona Homeland e apreciar Claire Danes e Damian Lewis em grande forma e a beleza da brasileira Morena Baccarin.

Homeland prova mais uma vez que o Showtime é um dos melhores canais de série atualmente.

Até,
André C.

Sinopse: Carrie, uma oficial de operações da CIA, que durante uma operação no Iraque foi avisada por uma fonte que um prisioneiro de guerra americano passou para o lado da Al-Qaeda. 8 Anos depois o prisioneiro de guerra Nicholas Brody, um sargento dos Fuzileiros Navais é resgatado durante uma incursão da Delta Force em um complexo pertencente a Abu Nazir. Apoś a volta dele para o EUA, Carrie precisa provar que o “herói” de guerra é na verdade um terrorista.
Canal EUA: Showtime
Canal Brasil: ?
Temporada: Primeira
Criadores: Howard Gordon e Alex Gansa, baseada na série israelense Hatufim criada por Gideon Raff.
Elenco Fixo: Claire Danes (Carrie Mathison), Damian Lewis (Nicholas Brody), Morena Baccarin (Jessica Brody), David Harewood (David Estes), Diego Klattenhoff (Mike Faber), Jackson Pace (Chris Brody), Morgan Saylor (Dana Brody) e Mandy Patinkin (Saul Berenson).

One thought on “Homeland

  1. Oge Marques

    Excelente resenha!

    “Homeland” foi uma das melhores coisas que vi na TV em 2011. Espero que você veja os episódios restantes assim que puder, pois imagino que eles te deixarão ainda mais “viciado” neste grande seriado.

    Não vejo a hora da segunda temporada começar.
    Ah, sim, a brasileira Morena Baccarin é de uma beleza encantadora.
    :-)

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts