O Visitante

O Visitante

visitante-2008-poster04Se pudermos falar que um filme tem alma, O Visitante é um destes filmes, pois é um drama emocionante, bonito, sincero, e sem nunca se tornar piegas ou dramático demais. Um filme de alma, e uma alma chamada Richard Jenkins (A Sete Palmos e Terra Fria), pois sua atuação é digna de um Oscar, só quem viu o filme pode entender porque Richard Jenkins estava concorrendo à estatueta.

O filme conta a estória de um professor viúvo (Jenkins) amargurado, desanimado e que leva a vida de uma maneira totalmente rotineira, leva a vida com a barriga, sem desejos, sem objetivos, enganando a si próprio de que sua vida é boa o bastante. E a maestria de Jenkins aparece totalmente aqui, pois seu olhar vazio, distante, seu jeito depressivo, mas sem cair no óbvio é lindo de se ver. Uma entrega total ao personagem.

Jenkins ainda mostra todo o seu valor quando a estória muda completamente, quando ele encontra dois imigrantes ilegais e encontra neles amizade, carinho, o tambor africano de Tarek (Haaz Sleiman), a música e uma razão nova na vida. Sem muito alarde Jenkins mostra tudo isto apenas com olhar, com pequenos jeitos e pequenas mudanças que impressionam. Sensacional.

Mas claro que Jenkins não conseguiu isso sozinho, o diretor Thomas McCarthy tem muito valor.

Primeiro da forma que nos apresenta o professor Walter, de forma lenta, melancólica e ajuda por boa direção musical. Mas o diretor tem seu valor principalmente na virada do filme, pois ao tocar num assunto polêmico, imigração após 11/09, McCarthy foca muito bem no jogo entre a vida sem esperanças de um viúvo e a de grandes sonhos de um imigrante. Mesmo caindo em algumas coisas óbvias do tema, e sem se aprofundar neste assunto polêmico (muitos podem achar isso um erro) o diretor consegue recuperar o filme da mesmice com o aparecimento da mãe de Tarek, vivida de forma excelente pela Hiam Abbass (Munique). A sintonia entre ela e Walter pode até ser previsível, mas nunca é apelativa, pois são duas pessoas que precisam de esperança, de fome de vida e de amor na mais pura concepção da palavra. Um passa ser o apoio ao outro para mudanças importantes em suas vidas, para mim o verdadeiro foco do filme.

De forma habilidosa o filme se sustenta muito bem durante os 104 minutos e é um ótimo filme para pensar, e rever muitas coisas, desde a imigração e até razões para se viver, e sem dizer na atuação espetacular de Richard Jenkins.

Até,
André C.
_____________

Walter Vale (Richard Jenkins) é um professor universitário de 62 anos, que não tem um objetivo na vida. Solitário desde o falecimento de sua esposa, ele permanece na universidade em que trabalha e finge ser co-autor de livros os quais nem lê. Um dia é enviado para uma conferência em Nova York, já que a autora de um destes livros está impossibilitada de comparecer. Reticente a princípio, mas sem escapatória, Water viaja. Ele resolve ficar em seu apartamento na cidade, o qual não visita há vários meses. Porém ao chegar descobre que o local agora abriga um casal de imigrantes ilegais, formado pelo sírio Tarek (Haaz Sleiman) e a senegalesa Zainab (Danai Jekesai).

Título Original: The Visitor
Gênero: Drama
País: EUA
Ano de Produção: 2008
Tempo de Duração: 104 minutos
Lançamento no Brasil: 13/03/2009
Direção: Thomas McCarthy
Roteiro: Thomas McCarthy

Elenco: Richard Jenkins (Prof. Walter Vale), Haaz Sleiman (Tarek Khalil), Danai Jekesai Gurira (Zainab), Hiam Abbass (Mouna Khalil) e Richard Kind (Jacob)

0 thoughts on “O Visitante

  1. […] Uma curiosidade e a direção de Steve Buscemi nos episódios 4,5 e 8, e a presença de Haaz Sleiman do filme O Visitante. […]

  2. Renata

    Assisti o filme estes dias, achei lento e cansativo, esperava bem mais pelo que li por aí, já que não foi só vc q elogiou este filme.

    bj

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts