Lída Baarová

Não conhecia a história da atriz Lída Baarová, por isso o que me chamou mais atenção na sinopse foi o nome do Ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels que foi, segundo o filme, completamente apaixonado pela atriz checa e a ajudou a subir na carreira e ser uma das mais promissoras atrizes da Alemanha.

O filme tem um bom roteiro, no lado romântico e pessoal da atriz, pois foca totalmente na vida de Lída Baarová (Tatiana Pauhofová), uma atriz que deixa seu país para viver o sonho de se tornar atriz em Berlim. Totalmente focada nos seus sonhos Baarová se dedica ao máximo para poder falar alemão sem sotaque e conquistar papéis importantes, e com a ascensão se deslumbra com Berlim e com o sucesso, ficando totalmente indiferente ao que acontecia na Alemanha de Hitler.

E o filme segue neste ritmo, mostrando uma pessoa que busca o sucesso a qualquer preço e que se apaixona pela personalidade e pela força de Joseph Goebbels (Karl Markovics) e que enxerga, na paixão dele por ela, a chance de conquistar mais espaço e mais popularidade.

Entre os acontecimentos da vida pessoal da atriz somos lembrados sobre o que está acontecendo na Alemanha, com pequenos diálogos antissemitas e com pequenas cenas contra judeus e que mostram como Lída Baarová estava completamente alienada ao mundo a sua volta. São nestes momentos que o filme perde um pouco de direção, pois como ele não quer desviar o foco para se tornar mais um filme sobre a segunda guerra mundial, o roteiro e a direção tentam dar a esses pequenos momentos um ar mais dramático, jogar uma tensão no ar através da trilha sonora exagerada e com algumas cenas mais impactantes, mas, em minha opinião, além de não funcionar elas acabam não contribuindo para o filme, pois é claro que esse não era o objetivo.

Falando em objetivo eu acreditava que, apesar de ser um filme interessante, o filme poderia dar dar mais ênfase a relação de Lída Baarová e Joseph Goebbels, inclusive acho que por ser o grande atrativo do filme vemos pouco disso na tela e realmente não conhecemos a fundo quem era Joseph Goebbels Ministro da Propaganda e o Joseph Goebbels amante apaixonado por Lída Baarová, toda a relação deles acontece muito rápida e falta mais coragem ou força ao roteiro.

Como falei acima Lída Baarová é um filme interessante, poderia ser um pouco mais forte, mas mesmo assim tem muito valor ao mostrar como algumas pessoas vivendo na Alemanha e naquele período não conseguiam perceber o que realmente acontecia e quem era Hitler e sua turma.

Nota Filme 2.5

 

 

 

 

Lída Baarová (Lída Baarová – 2016)
Direção: Filip Renc
Roteiro: Ivan Hubac
Elenco: Tatiana Pauhofová, Karl Markovics, Gedeon Burkhard e Zdenka Procházková

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.