State of Play – Série x Filme

State of Play – Série x Filme

stateSemana passada o Wellington me indicou mais uma série da BBC, e depois de acertar com Apparitions, ele acertou novamente com uma excelente indicação, State of Play. Se esquecermos que ele me indicou Unusuals (já cancelada), podemos considerar o Wellington um grande descobridor de séries, qual será a próxima?!

Então, State of Play é uma minissérie que passou na BBC em 2003 e que chegará os cinemas brazucas em 12/06 com um grande elenco: Russell Crowe, Ben Affleck, Rachel McAdams, Helen Mirren, Robin Wright Penn, Jason Bateman, Jeff Daniels, Viola Davis, etc.

Admito que quando comecei a ver a série, não sabia que tinha ligações com o filme Intrigas do Estado, o que me motivou a ver, além da indicação, foi o espetacular primeiro capítulo e o elenco de feras inglesas, como Bill Nighy (Underworld e Simplesmente Amor).

A série é uma trama muito bem criada por Paul Abbott e que nos envolve desde que começa em um ritmo frenético e cheio de voltas, mas o que é impressiona é o fato de você viver praticamente dentro de uma investigação jornalística, desde o suborno de fontes, problemas com o governo, com editores e jogos de interesses entre jornal, governo, polícia e até amizade.

O elenco, de primeira, é impressionante. O jornalista Cal McCaffrey (Russell Crowe nos cinemas) é a alma da estória, é ele quem veste a camisa da reportagem, e John Simm viveu o seu personagem de uma forma impressionante, mostrando a sua paixão por aquele furo jornalístico, sabendo mostrar claramente a diferença entre o seu amor por uma mulher e pela sua profissão.

David Morrissey, o parlamentar Stephen Collins (Ben Affleck nos cinemas), também tem uma atuação magistral. Seu parlamentar é forte e fraco ao mesmo tempo. Vai do ódio e força à insegurança, da arrogância à humildade em um piscar de olhos. Algumas cenas entre ele e John Simm são grandes, tensas e espetaculares. Tenho minhas dúvidas se Ben Affleck convencerá neste papel, sinceramente, acho que não. Obviamente e uma dúvida que não passa ao se falar de Russell Crowe vivendo Cal McCaffrey.

E todo o resto do elenco de suporte é muito bom: a escocesa Kelly Macdonald que faz Della Smith (Rachel McAdams nos cinemas) é uma repórter igualmente gananciosa e apaixonada pela matéria que escreve ao lado de Cal, mas seu duelo com seu lado moral e humano, é marcante, além é claro do seu delicioso sotaque. James McAvoy (O Procurado e o Último Rei da Escócia) veste com grande maestria seu papel de repórter que além de reconquistar a confiança do seu pai, tem que conquistar o seu espaço dentro da matéria que também iniciou a luta. Polly Walker (Roma) tem um papel que poderia ser apenas um papel de mulher traída, mas o roteiro e a atuação desta bela atriz inglesa, fizeram que sua Anne Collins (Robin Wright Penn) fosse forte, decidida e que lutasse por seus filhos, uma mãe na hora certa e uma mulher quando necessário.

Falar de Bill Nighy não é necessário, vencedor do Bafta por este seriado, o cara é simplesmente um grande ator. Parece claramente que brinca de atuar, como na cena em que brinca com a nova editora chefe e Cal. Ele é um ator fora de série e que teve seu papel no filme trocado de sexo, mas será vivida pela também fora de série Helen Mirren, que dará o sotaque inglês da série ao filme.

A série é ótima, chega quase à perfeição, pois mostra o lado sério e político deste jornalismo investigativo, mas não esquece em nenhum momento que em todos os lados existem seres humanos, desde os jornalistas até os investigados. Os medos, as incertezas, as ambições, os amores e os sentimentos de todos sempre são lembrados na série. O roteiro de Paul Abbott não trata os jornalistas e os políticos só como máquinas investigativas e ambiciosas por uma ótima matéria ou por um cargo maior dentro do Parlamento Inglês, trata todos como humanos, com erros e acertos. E isto foi combinado de forma perfeita, tanto pelo roteiro, quanto pela direção, edição e, obviamente, pela atuação de todo o elenco, gerando um grande drama político e jornalístico.

Não sei se o filme será tão bom, no trailer (que você pode conferir neste post) já vemos alguns toques bem Holywood, por exemplo, aquela cena onde vemos o personagem de Russell Crowe pulando no carro sob tiros, aquilo não tem na série de TV. Tudo bem, é complicado adaptar uma minissérie de 6 capítulos de 1 hora cada, para um filme de 2 horas, mas vamos torcer para que não tenham perdido a essência do roteiro da TV para transformar num filme de ação para o verão americano.

Até,
André C.
___________________________

Canal UK: BBC
Episódio:01 ao 6
Estréia no UK: 18/05/2003
Final de Temporada EUA: 22/06/2003
Criador e Roteiro: Paul Abbott
Diretor: David Yates

Elenco: John Simm (Cal McCaffrey), David Morrissey (Stephen Collins), Kelly Macdonald (Della Smith), Bill Nighy (Cameron Foster), Amelia Bullmore (Helen Preger), Benedict Wong (Pete Cheng), Rebekah Staton (Liz), Philip Glenister (DCI William Bell), Polly Walker (Anne Collins), James McAvoy (Dan Foster), Marc Warren (Dominic Foy), Michael Feast (Andrew Wilson) e Johann Myers (Sonny Stagg)

0 thoughts on “State of Play – Série x Filme

  1. Quero assistir ao filme e adoraria poder conferir a série, que foi bastante elogiada por onde li.

  2. esta série é muito boa mesmo, mas acho que o filme vai se superar!

    1. Mariano,
      eu ainda tenho minhas dúvidas com o filme, mas claro que merece uma atenção especial, pois tem grande elenco e é baseado numa grande série.

      Abraços,
      André C.

  3. Parece ser um filme interessante.
    É possível que haja uma ótima atuação por parte do Russell Crowe, já que na minha mente eu sempre lembro da excelentíssima atuação dele em Uma Mente Brilhante.
    Mas, mudando um pouco de gênero, fim de semana tem Terminator Salvation, que tenho lá minhas dúvidas se será bom ou não…

    É isso.
    J.D.

  4. Letícia

    Não tinha lido esse post até assistir o último episódio da série por medo de ler algum spoiler (apesar de perceber que você tem muito cuidado com isso) que pudesse prejudicar minha expectativa em relação ao desfecho da história, que por sinal é muito intrigante e bem construído. Sobre a atuação do Ben Affleck nos cinemas, também acho que não vai convencer. Um dos pontos que encata na série é o realismo com o qual a história é conduzida, considerando os sentimentos, anseios e fraquezas dos personagens , como você bem disse, nos sentimos dentro de uma investigaçao jornalística. Pelo trailer já é possível perceber que o filme vai por outro caminho: o da açao, com sequências cliches, bem hollywood. Mas isso não diminui minha curiosidade para ver como será essa adaptação.

    1. Oi Letícia,
      eu li na veja sobre o filme, parece que eles mudaram um pouco a sinopse, mas me pareceram mudanças positivas, até estou pensando em rever minha opinião e dar uma chance ao filme.

      André C.

  5. […] Um filme espetacular, com dois atores mágicos: Bill Nighy e Kelly Macdonald, a mesma dupla que mostrou todo o seu talento na minissérie State of Play. […]

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts