Alcatraz

Alcatraz

Esperei a Warner e assisti a tão esperada Alcatraz. A série chega com um status que chama atenção, tanto na produção, no elenco e na propaganda que foi feita em torno dela. A série estreou no EUA com grande público e já aparece como uma das possíveis sensações de 2012.

Porém este viciado em séries de TV não consegui ficar empolgado com as primeiras impressões da série, pois vi uma mistura de The 4400 com Haven, pitadas de Fringe e obviamente Lost. Antes que me condenem vou tentar explicar os motivos de não ter ficado empolgado e também o porque darei uma chance a série.

É inevitável a comparação ao The 4400, série que empolgou no início, mexeu com a imaginação, viciou e que se perdeu e acabou deixando fãs sem resposta, aliás, muitos fãs começaram a desaparecer na metade da terceira temporada. Por isso tenho um pouco de receio de Alcatraz, já que agora no início cada episódio vai tratar de um prisioneiro ou policial que retorna de sabe-se lá onde, assim como em The 4400.

Haven e Fringe também aparece na forma de como o grupo vai tratar os que retornam. Primeiro comparando com Haven o estilo da policial, assim como Emily Rose demorou para convencer como uma agente do FBI, Sarah Jones também parece ter este problema, sem dizer que ela anda sempre meio decotada e com roupas sexys para uma policial. A química dela com Jorge Garcia também parece meio distante, mas tende a melhorar. Agora os pontos que se aproximam de Fringe são um laboratório que ninguém conhece, um grupo onde um “Doutor” tem as respostas para os mistérios e uma trama que pode viajar a vontade, pois me parece claro que Sam Neill sabe muito mais do que deixa transparecer e que tem algo do governo por trás.

E é impossível não lembrar de Lost quando até a música antes dos intervalos lembra a música usada em Lost em cenas para gerar suspense, e sem dizer nas constantes idas e vindas ao passado ou a outra vida dos personagens da série. Sem dizer é claro no fato de alguns personagens importantes terem vivido nos dois tempos sem envelhecer.

Na verdade estes pontos me deixam com uma pulga atrás da orelha, mas o que é pior é o elenco, que ainda não me passou confiança. Como citei Sarah Jones não me passa a confiança de uma policial, Jorge Garcia precisa esquecer de vez Hurley, Sam Neill é o pior de todos,  parece no automático, ou melhor, parece um robô e sem dizer que a melhor coisa são os prisioneiros do passado, estes sim com uma atuação mais convincente, mas com menos espaço na tela.

Com todas estas características eu fico um pouco receoso do rumo da série, pois as experiências com as séries que apresentam mistérios longos não são das melhores: The 4400 acabou sem um final, Lost teve altos e baixos e se perdeu muito durante todas as temporadas, Fringe vive no dilema para ser renovada ou não e Haven demorou para engrenar, mas vou dar chance a série por outros motivos: Lost mesmo com defeitos marcou época e é um marco na TV, Haven melhorou muito tanto nos atores, personagens e na trama e principalmente porque estou seguindo muitas comédias e dramas e é bom ter algo misterioso enquanto Haven não volta.

E também quero tentar ser menos ranzinza e não querer que tudo seja explicado a toda hora!

Até,
André C.

Sinopse: Um grupo de prisioneiros e guardas desaparecidos da famosa prisão de Alcatraz e que misteriosamente reaparecem nos dias de hoje, e o FBI começa a caçada a antigos assassinos e tenta desvendar o segredo dos desaparecimentos trinta anos antes.
Canal EUA: FOX
Canal Brasil: Warner
Temporada: Primeira
Criadores: J. J. Abrams, Elizabeth Sarnoff, Steven Lilien e Bryan Wynbrandt
Elenco Fixo: Sarah Jones (Detective Rebecca Madsen), Jorge Garcia (Dr. Diego Soto), Jonny Coyne (Warden Edwin James), Parminder Nagra (Lucy Banerjee), Jason Butler Harner (Deputy Warden E.B. Tiller) e Sam Neill (Emerson Hauser).

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts