O Preço da Traição

O Preço da Traição

O Preço da Traição é um filme que tenta ser várias coisas, mas nunca consegue chegar realmente ao seu objetivo. O filme tenta ser sensual, tenta ser ousado, tenta ser erótico, tenta ter uma trama envolvente, tenta surpreender o espectador e por final tem atores que tentam tirar o filme do marasmo, mas também não conseguem.

O filme do diretor Atom Egoyan em nenhum momento consegue chegar aos objetivos que se propõe e vira uma obra fraca, previsível e que chega a dar pena do esforço de atores como Julianne Moore e Liam Neeson tentando tirar de um roteiro vazio alguma boa atuação, mas infelizmente a falta de coragem do diretor e a falta de força do roteiro deixem os dois renomados atores totalmente desamparados.

Não consigo definir se a culpa do filme ser tão fraco é do roteiro de Erin Cressida Wilson, baseado no filme Nathalie de Anne Fontaine, ou do diretor que não soube ousar em cima de uma história com todos os elementos eróticos, envolvendo um casal maduro, em suposta crise no casamento, com dúvidas sobre a fidelidade e entre eles uma bela jovem prostituta que quer jogar com as incertezas do casal. Seria o diretor que na hora que realmente precisava ousar, não ousou ou do roteiro que criou a trama central, mas esqueceu de dar mais conteúdo aos personagens.

Ainda me pergunto qual era o objetivo do filho do casal? Ele entra em cena para mostrar que têm problemas com a mãe, mas qual é a real participação dele no filme? Ser a porta de entrada para Chloe (Amanda Seyfried) no final do filme? Ou seja, mais uma prova clara do roteiro fraco, que criou um personagem que nunca realmente mostra a importância dele para o filme, e ainda traz algumas cenas um pouco fora do contexto do caminho para qual o filme segue.

Mas mesmo assim temos vários os elementos poderiam gerar um bom filme, principalmente com a dupla principal querendo extrair de seus personagens muito mais do que o roteiro deu, e ainda contando com uma Amanda Seyfried se esforçando para seduzir a todos, mesmo não sendo fã da atriz, ela se esforça e tenta passar a sensualidade necessária, mas assim como Moore e Neeson a atriz esbarra em falta de conteúdo do roteiro, pois nas melhores cenas o roteiro se torna vazio e o diretor parece ter medo de realmente ousar e ir mais a fundo para fazer nascer um triângulo amoroso real com uma possível tragédia no final.

Infelizmente o filme não decola, não empolga, um filme que ousava ser forte e erótico, termina de forma previsível como a maioria dos filmes onde existe um triângulo amoroso e alguém é rejeitado, mas sem acrescentar nada de especial nos seus cansativos 96 minutos.

Até,
André C.

O Preço da Traição (Chloe) – 2010)
Direção: Atom Egoyan
Roteiro: Erin Cressida Wilson baseado no filme Nathalie de Anne Fontaine
Elenco: Julianne Moore (Catherine Stewart), Liam Neeson (David Stewart), Amanda Seyfried (Chloe) e Max Thieriot (Michael Stewart).

Nota Filme: 1.0

2 thoughts on “O Preço da Traição

  1. Pamy

    Concordo plenaamente!! Prova de que não só de elenco sobrevive um filme!

  2. […] um algo a mais do que um filme que bebe no estilo Tarantino com pequenas doses de Guy Ritchie 6. O Preço da Traição – … um filme que tenta ser várias coisas, mas nunca consegue chegar realmente ao seu […]

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts