Homens em Fúria

Homens em Fúria

Homens em Fúria tem uma semelhança entre os dois atores principais, Edward Norton e Robert De Niro, ambos precisam claramente de uma grande atuação para resgatar a carreira do marasmo em que caiu. Infelizmente no filme temos apenas momentos preciosos destes dois baita atores, mas ainda não é aquela atuação que relembre os bons tempos dos atores.

Aqui o Edward Norton vive Stone um prisioneiro que tenta sair da prisão e para isso precisa ser analisado por Robert De Niro, que é como um psicólogo da prisão, e principalmente para lá da metade do filme é que temos os grandes momentos destes dois atores e que salvam o filme de se tornar cansativo, pois eles travam interessantes guerras verbais ou jogos mentais em diálogos fortes e intensos, justamente quando eles trocam de lado, um começa a ter duvidas da vida e o outro começa a enxergar melhor o seu destino.

São nestes momentos que vemos um pouco do bom Robert De Niro, que ultimamente parece que tem feitos filmes apenas por fazer e se acostumou em fazer na tela Robert De Niro, mas aqui ele tem bons momentos ao lado de Norton, que também mostra que ali ainda existe aquele grande ator que impressionou em filmes como A Outra História Americana, mas que parece escondido ou esquecido pelo ator.

O filme segue em um ritmo lento até que a sensualidade de Milla Jovovich começa a mudar a vida dos dois, é exatamente a boa presença de  Jovovich que faz que ambos os personagens mudem os rumos das suas vidas, dando ao filme mais velocidade e suspense, pois a atriz, em boa atuação, sabe manipular bem os dois personagens e coloca eles no tal jogo mental que citei no segundo parágrafo, é ela que transforma o filme.

Porém mesmo com bons momentos dos atores e com a virada no rumo da história que a personagem de Jovovich traz, a sensação é que sempre falta algo no filme e que o filme realmente não consegue chegar aonde queria, e que o roteiro também não consegue definir exatamente o lado para qual quer, gerando apenas conflitos entre cabeça e religião, certo e errado, mas ao final a sensação clara é que o filme não fechou a ideia que queria, e apesar de deixar que nós possamos criar o nosso desfecho, o trabalho geral do filme, em minha opinião, fica prejudicado.

O grande trunfo de Homens em Fúria é mostrar que com bons personagens e com vontade tanto Edward Norton quanto Robert De Niro ainda podem dar ao cinema muito mais do que vem fazendo nos últimos anos e que até Milla Jovovich pode ser muito mais do que um rostinho bonito.

Até,
André C.

Homens em Fúria (Stone – 2010)
Sinopse: Stone (Edward Norton) foi condenado à prisão por doze anos e já cumpriu oito. Ele deseja obter liberdade condicional e deixar o cativeiro, mas antes precisa passar por Jack (Robert De Niro), um policial prestes a se aposentar que tem por função avaliar se ele ainda é um perigo para a sociedade. Stone está disposto a tudo para conseguir a aprovação de Jack, até mesmo incentivar sua esposa Lucetta (Milla Jovovich) a seduzi-lo.
Direção: John Curran
Roteiro: Angus MacLachlan
Elenco: Robert De Niro (Jack Mabry), Edward Norton (Gerald ‘Stone’ Creeson), Milla Jovovich (Lucetta Creeson) e Frances Conroy (Madylyn Mabry).

Nota Filme: 2.5

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts