A Minha Versão do Amor

A Minha Versão do Amor

Após as primeiras cenas de Minha Versão do Amor você acaba não dando muita importância para o filme, pois parece uma simples comédia sobre as idas e vindas do amor de um cara fadado ao fracasso com as mulheres, uma vez que logo no início do filme vemos que ele se casa por ter engravidado a suposta namorada e o filho nem era dele.

Porém o filme se transforma com o passar dos minutos em um ótimo drama, com excelente pitadas de comédia sobre o amor, sobre qual é o verdadeiro amor, quando realmente estamos prontos para amar e será que este é o verdadeiro amor? E esta transformação acontece graças ao grande Paul Giamatti.

Paul Giamatti pega as rédeas do filme e faz um excelente trabalho como um homem que busca sentir o verdadeiro amor. Aliás, alguns podem dizer que Giamatti repete alguns de seus papéis, de um homem sério e com grande humor negro, mas independente disso o ator se aprofunda em seu personagem, e as suas melhores cenas são exatamente aquelas em que o drama se destaca mais do que o jeito turrão de ser, mostrando a versatilidade do ator.

No filme Paul Giamatti faz Barney que em um dado momento de sua vida começa a ter lembranças dos amigos e das suas 3 belas mulheres. A narrativa em alguns momentos até atrapalha o andar do filme, com suas indas e vindas que nos prejudicam em saber o próximo passo na vida de Barney. Vale lembrar que só não nos perdemos no tempo pela excelente maquiagem e direção de arte que consegue reproduzir bem as diferenças de épocas. Memso um pouco confusa, estas indas e vindas nos reservam excelentes momentos de Barney e suas 3 mulheres.

Mesmo com este pequeno problema o filme tem um bom ritmo, e nem quando o filme realmente puxa para o drama o diretor Richard J. Lewis perdeu o foco e não deixou o filme cair em um dramalhão, pois mesmo nas cenas mais fortes, próximo ao fim do filme, ele conseguiu tirar de Paul Giamatti e da bela Rosamund Pike excelentes e grandiosos momentos. Falando ainda de belas cenas, Paul Giamatti e Dustin Hoffman protagonizam belíssimas cenas de amizade entre pai e filho, vale ressaltar que Dustin Hoffman nos apresenta uma ótima e singela atuação.

Claro que não posso deixar de citar as duas principais mulheres da vida de Barney, vividas por Minnie Driver e Rosamund Pike. As duas são completamente diferentes no filme e mostram claramente as diferenças que fizeram Barney amar uma e a outra em seus momentos, mas deixando claro porque uma foi o grande amor dele.

Para finalizar o post digo que A Minha Versão do Amor é um filme extremamente simples sobre as indas e vindas do amor e as dúvidas de um homem sobre seus sentimentos, e mesmo sem grande inovação e sem quere ser único, o filme consegue emocionar sem nunca ser um dramalhão, e consegue fazer rir sem ser uma comédia escancarada, e principalmente faz você pensar ao final do filme, e ainda nos apresenta um ator em excelente forma, mostrando o porque do prêmio de melhor ator no Globo de Ouro de 2011.

Até,
André C.

A Minha Versão do Amor (Barney’s Version) – 2010)
Direção: Richard J. Lewis
Roteiro: Michael Konyves baseado em romance de Mordecai Richler.
Elenco: Paul Giamatti (Barney Panofsky), Macha Grenon (Solange), Rosamund Pike (Miriam Grant-Panofsky), Minnie Driver (The 2nd Mrs. P), Dustin Hoffman (Izzy Panofsky), Scott Speedman (Boogie), Thomas Trabacchi (Leo), Clé Bennett (Cedric), Rachelle Lefevre (Clara ‘Chambers’ Charnofsky), Anna Hopkins (Kate Panofsky), Bruce Greenwood (Blair) e Jake Hoffman (Michael Panofsky).

Nota Filme: 3.5

One thought on “A Minha Versão do Amor

  1. Lana

    Realmente muito bom. Ótimas atuações principalmente do magnífico ator Dustin Hoffman assim como em Luck que envolve o complexo mundo das corridas de cavalos, estou muito empolgada, também com esse elenco fantástico só poderia ser ótima.

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts