O Lado Bom da Vida

ladobomdavida

Podemos definir O Lado Bom da Vida como um filme cativante, daqueles que você não aposta, mas por causa de um roteiro muito bem elaborado e um grupo de atores em excelente sintonia, você se sente totalmente dominado por ele durante suas duas horas de duração, algo que fez O Lado Bom da Vida aparecer com 8 indicações ao Oscar.

O grande trunfo para O Lado Bom da Vida ser um filme envolvente e cativante é o bom roteiro de David O. Russell, que pegou 3 temas muito usados em filmes e misturou todos de uma forma natural e interessante, pois aqui ele fala de doença, traumas, de dança e de futebol americano e, o melhor, é que tudo é muito bem encaixado, tudo muito natural e a forma como isso contado na tela ajuda a tornar o filme mais agradável, envolvente. Resumindo o filme é uma boa comédia, com dramas, sem ser meloso, e principalmente é recheado de ótimos diálogos, principalmente entre a dupla principal, são diálogos rápidos, interessantes, com uma montagem inteligente e principalmente dominante, uma vez que te traz com uma facilidade incrível para dentro do filme.

E quando você percebe, você realmente está envolvido com a família de Pat (Bradley Cooper) e seus problemas, aliás, isso não é apenas mérito do bom roteiro de David O. Russell adaptado do livro The Silver Linings Playbook (nome original do filme) de Matthew Quick, é mérito de sua boa direção que traz um elenco em perfeita sintonia, obviamente com destaque da dupla principal.

E por falar na dupla, os melhores momentos do filme são na presença deles, já que Bradley Cooper e a vencedora do Oscar Jennifer Lawrence estão em perfeita sintonia, suas cenas são ótimas, como a cena do jantar no café, ali os dois dão um show de interpretação, principalmente Jennifer Lawrence que a faz com muita naturalidade, numa cena que me lembrou e muito Harry & Sally com Meg Ryan e Billy Crystal, bela inteligência, força e a naturalidade da conversa, apenas com um desfecho um pouco diferente.

Bradley Cooper realmente surpreende, até mais que a bela Jennifer Lawrence, já que dele não era de se esperar uma atuação forte, dramática e tão profunda, visto que ele nunca tinha tido na tela uma chance como essa, com um personagem tão completo, méritos dele e do diretor. Uma indicação merecida ao Oscar.

E eu não quis dizer que Jennifer Lawrence, de quem sou fã declarado, não mereceu o Oscar ou não surpreendeu, mas é que dela já se espera uma atuação deste nível, pelas suas escolhas, pelo que já fez em filmes, como O Inverno da Alma, diante disso fica claro que a surpresa maior é sobre um ator que você não espera. Bem, Jennifer Lawrence mereceu o Oscar sim, sua Tiffany é deliciosamente enigmática ao mesmo tempo que é carente. Sua interpretação é rica, forte e tão profunda quanto de Bradley Cooper, os dois realmente se completam em cena.

Ainda falando do elenco os pais de Pat, Robert De Niro e Jacki Weaver também concorreram ao Oscar, e são uma dupla de coadjuvantes espetacular, apesar de que vemos De Niro com aquele jeitão que vem repetindo no cinema, ele dá um show de interpretação em importantes momentos do filme, sem dizer que está magnífico como um viciado em apostas, cheio de toques e apaixonado pelo seu time de futebol americano. Já Jacki Weaver é uma mãe acima de qualquer suspeita, magnífica.

O Lado Bom da Vida é aquela comédia romântica que já sabemos o final, claro, é previsível na primeira cena em que Pat e Tiffany se encontram, mas mesmo assim é um filme excelente, pois entre este encontro e o final, o filme nos apresenta uma família real com seus problemas, com seus sonhos, seus desejos e que querem no fundo paz e felicidade. O trio Jennifer Lawrence, Bradley Cooper e David O. Russell fazem de uma comédia comum um filme imperdível, com comédia, dança, dramas, doenças, futebol e a eterna luta para seguir em frente e ser feliz.

Até,
André C.

O Lado Bom da Vida> (The Silver Linings Playbook – 2012 )
Sinopse: Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu absolutamente tudo na vida: sua casa, o emprego e a esposa. Deprimido, ele vai parar em um sanatório, onde fica internado por oito meses. Ao sair, Pat passa a morar com os pais e está decidido a reconstruir sua vida, o que inclui retomar o casamento, passando por cima de todos os problemas que teve. Entretanto, seu novo plano começa a mudar quando ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma garota misteriosa que também tem seus problemas
Direção: David O. Russell
Roteiro: David O. Russell adaptado do livro The Silver Linings Playbook de Matthew Quick
País: EUA
Duração: 122 minutos
Prêmios: Oscar (Melhor Atriz, Melhor Diretor, Melhor Edição, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Atriz Coadjuvante) – Gobo de Ouro (Melhor Atriz em Comédia ou Musical, Melhor Ator em Comédia ou Musical e Melhor Filme) – Bafta (Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Ator e Melhor Atriz)
Elenco: Bradley Cooper (Pat), Jennifer Lawrence (Tiffany), Robert De Niro (Pat Sr.), Jacki Weaver (Dolores), Chris Tucker (Danny), Anupam Kher (Dr. Cliff Patel), John Ortiz (Ronnie), Julia Stiles (Veronica) e Brea Bee (Nikki).

Nota Filme 4.0

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts