Amor a Toda Prova

amoratodaprova

Esta aí um filme que me surpreendeu positivamente, pois olhando de fora achava que o filme não fugiria muito do que temos visto por aí em comédias românicas, mas por incrível que pareça, apesar dos clichês, Amor a Toda Prova tem seu brilho próprio e dá um olhar bem amplo sobre amor, vida, relacionamentos e família.

Enquanto em Namorados Para Sempre o amor e o casamento parecem ser algo do passado, fadado a desgraça, a comédia dos diretores Glenn Ficarra e John Requa tenta por todas as maneiras deixar claro que vale a pena deixar o medo de lado e amar, mesmo que todas as inseguranças da vida amorosa invariavelmente surjam na sua cabeça o tempo todo. Não será fácil e nem maravilhoso, mas as pessoas devem acreditar no amor.

Apesar do filme seguir mais de perto o personagem de Steve Carell (muito bem no filme), o que o roteiro e os diretores querem é tratar do amor de várias formas, seja de um homem que quer redescobrir as mulheres, seja de um menino apaixonado por uma babá, de uma mulher cansada da rotina com o marido, de um garanhão que só pensa em sexo, de uma jovem apaixonada por um homem da idade do seu pai ou de uma mulher que prefere o óbvio do que arriscar com o inesperado. É justamente por isso, por tratar o amor dentro de um cíclo de amigos/familiares que Amor a Toda Prova ganha pontos e agrada e muito, pois foge do comum, homem traído vira garanhão e mulher se arrepende, isto até está ali, mas é apenas parte de um círculo amoroso bem maior.

Este círculo amoroso cheio de altos e baixos é o que mantém o filme vivo, mesmo com piadas que já vimos em outros filmes,  porém aqui todo o roteiro é muito bem escrito e amarrado por Dan Fogelman, parece que cada detalhe que vemos na tela é causado por algo que já aconteceu no passado, cada gesto parece que será algo que definirá uma situação e até os clichês parecem estar no lugar certo e na hora certa, agora soma-se a tudo isso a boa performance de todo elenco e a câmera cuidadosa dos diretores, vemos que é possível criar cenas onde apenas a imagem diz tudo, como a cena do rompimento do casal vivido por Steve Carell e Julianne Moore, desde o restaurante, até o carro fica claro o motivo de toda a separação ou ainda quando a jovem Jessica (Analeigh Tipton) tenta ser sensual no seu quarto ainda infantil. Cenas que mostram claramente porque o filme fucniona, pois roteiro, atores e diretores estavam em ótima sintonia.

Outro ponto a favor do filme é que pode agradar homens e mulheres, pois mostra os dois lados da moeda no relacionamento, pois tem horas em que o homem é o vilão, em outras a mulher, depois é a mulher que é a louca apaixonada, depois é homem que acredita cegamente no amor, o filme brinca com os dois lados com o tal primeiro amor, e assim traz boas surpresas e uma delas realmente surpreende e traz perto do final uma mudança interessante na visão do então traído e agora garanhão Steve Carell. O filme agrada praticamente em todo o momento, aliás, Steve Carell recebendo aulas de Ryan Gosling em como cantar uma mulher rende ótimas piadas, até quando tudo mudo de lado.

Além de Steve Carell, vale destacar a presença de Emma Stone que aos poucos vem mostrando ser a nova aposta de Holywood e Ryan Gosling competente como sempre, além dos novatos Analeigh Tipton e Jonah Bobo ótimos no seu núcleo da estória, além da presença sempre marcante de Julianne Moore.

Amor A Toda Prova é um filme que não foge muito as regras da comédia romântica, mas por ser contada de uma maneira mais ampla acaba fugindo do comum, onde até os clichês do gênero acabam entrando em sintonia com todo o roteiro e criam um filme curioso e muito interessante com suas reviravoltas, e principalmente não promete final feliz para todos os apaixonados, até porque a vida não é tão simples assim.

Até,
André C.

Amor A Toda Prova (Crazy, Stupid, Love – 2011)
Sinopse: Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e leva uma vida perfeita, com um bom emprego, filhos e um casamento com a namorada do colégio, Emily (Julianne Moore). Até que, ao descobrir que Emily o está traindo e quer o divórcio, sua vida desaba por completo. Forçado a voltar ao mundo dos solteiros, ele enfrenta as dificuldades habituais de quem não sabe mais como se portar para se aproximar de uma mulher. É quando entra em cena Jacob Palmer (Ryan Gosling), um amigo que passa a lhe dar algumas dicas
Direção:Glenn Ficarra e John Requa
Roteiro: Dan Fogelman
Elenco: Steve Carell (Cal Weaver), Ryan Gosling (Jacob Palmer), Julianne Moore (Emily Weaver), Emma Stone (Hannah), Analeigh Tipton (Jessica Riley), Jonah Bobo (Robbie Weaver), Joey King (Molly Weaver), Marisa Tomei (Kate Taffety) e Kevin Bacon (David Lindhagen)

Nota Filme: 4.0

3 thoughts on “Amor a Toda Prova

  1. Eu tenho certo preconceito com comédias românticas e, ultimamente, ando fugindo de filmes com Steve Carell (adoro o ator, mas só tem feito papel ruim, coitado). Depois da sua resenha, vou reconsiderar este filme.
    Obrigada por me fazer mudar de ideia 😉

    1. Andre C.

      Michelle,
      exatamente isso que acontece com as comédias românticas de hoje em dia, elas caem no comum e geram um preconceito em todos, porém Amor a Toda Prova mostra que ainda dá para tentar ser original e fazer algo diferente.

      Obrigado pela visita,
      André

  2. […] que A Ficção, Até A Eternidade, Namorados para Sempre, Os Vingadores, Toda Forma de Amor e Amor a Toda Prova. E como já citei no começo deste post o Melhor Filme 3D que vi no ano foi […]

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts