A Delicadeza do Amor

adelicadeza

Quem segue este blog sabe faz algum tempo sabe que eu tenho uma certa adoração pelo ar encantador e sútil de Audrey Tautou que seduz timidamente com seu sorriso meio de menina com aqueles penetrantes olhos negros, e só a presença dela já era motivo mais do que ideal para ver A Delicadeza do Amor, mas ao sair da sala do cinema vi que o filme tinha muito mais do que Audrey Tautou.

A Delicadeza do Amor é mais uma comédia romântica repleta de cenas que já vimos em outros filmes, mas os irmãos Stéphane e David Foenkinos conseguiram transformar a história de amor e perda da personagem vivida por Audrey Tautou em uma comédia leve, modesta e extremamente agradável, pois conseguiram em alguns momentos equilibrar romance, drama, comédia e dar pitadas de poesia.

Logo no começo do filme você já percebe que aquilo que está na tela já aconteceu em milhares de filmes, ou seja, um grande amor nasce e um desastre os separa para sempre, e quem fica se tranca em seu mundo e esquece de viver. Resumindo rapidamente o filme, é isso mesmo que escrevi, pois logo no início conhecemos Nathalie Kerr (Audrey Tautou) que se apaixona e no meio deste grande amor uma tragédia acontece. Porém, como disse no paragrafo acima, os diretores apresentam isso sem grande alarde e sem fazer da tragédia algo que marque, de forma suave eles passam pelo romance e pelo drama e dando certo brilho a tudo isso com uma excelente trilha.

E assim o filme segue seu caminho sem inovar muito, mas é aí que entra o elenco em grande sintonia. Audrey Tautou está, como sempre, encantadora, mas o grande nome do filme é o belga François Damiens, que vive o solitário e atrapalhado sueco Markus Lundl. É graças a presença do ator que o filme deixa de lado aquela cara de romance cheio de drama, e se tornar uma comédia agradável até o seu final. Assim como ele muda a vida de Nathalie Kerr (Audrey Tautou) tentando fazê-la sorrir e renascer para o amor, ele também faz acontecer no lado de cá da tela, pois é o ator que tira os melhores sorrisos da platéia e dá a virada no filme e na vifa da personagem de Tautou.

Agora junte a direção simples e correta dos irmãos Foenkinos aos dois atores em improvável, mas deliciosa química, e some a tudo isso uma trilha sonora espetacular, que parece feita milimetricamente para cada momento do filme, assim temos uma comédia romântica que mostra que ás vezes nem é preciso inovar, mas apenas contar a história de forma poética, como vemos nas frases finais do sueco Markus Lundl que ao seu jeito resolveu amar.

Por favor me desculpem por isso, mas A Delicadeza do Amor vai delicadamente dominando o público com sua bela história de um amor nada provável.

Até,
André C.

A Delicadeza do Amor (La délicatesse – 2011)
Sinopse: O filme é inspirado no romance A Delicadeza, de David Foenkinos, e traz a história de Nathalie (Tautou), uma mulher francesa que continua em luto pela morte do marido mesmo depois de três anos da perda. Com seu mundo virado de cabeça para baixo, ela prefere focar no trabalho e deixar os sentimentos de lado. Inesperadamente um dia ela beija o colega de trabalho o sueco Markus Lundl (François Damiens) e isso pode mudar novamente sua vida.
Direção: David Foenkinos e Stéphane Foenkinos
Roteiro: David Foenkinos baseado em seu próprio romance.
Elenco: Audrey Tautou (Nathalie Kerr), François Damiens (Markus Lundl), Bruno Todeschini (Charles), Mélanie Bernier (Chloé, la secrétaire de Nathalie), Joséphine de Meaux (Sophie), Pio Marmaï (François), Ariane Ascaride (La mère de Nathalie) e Audrey Fleurot (Ingrid, la secrétaire de Charles)

Nota Filme: 4.0

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts