Lucy (2014)

lucy1

Lucy é um filme de ação onde logo na sinopse já sabemos que as mais improváveis cenas de ação irão aparecer na tela em velocidades astronômicas, e por isso mesmo temos que tratar o filme desta forma, um filme pipoca de ação que está ali para nos divertir, ou seja, precisamos deixar a realidade de lado.

Lucy tem dois grandes trunfos para funcionar: Scarlett Johansson e Morgan Freeman.

Luc Besson impõe um ritmo impiedoso ao filme a partir dos 10 minutos iniciais e cria uma dinâmica bacana na maneira como mostra a transformação de Lucy dê uma mulher comum em uma mulher fora de série, mas isso só funciona por ele ter no papel uma Scarlett Johansson que vestiu o papel com a alma.

Scarlett Johansson se transforma em segundos em uma simples mulher com problemas com homens em uma mulher que se torna problema para os homens, pois em questão de horas ela adquire inteligência, velocidade, força e é capaz de atos mais surpreendentes. Ao mesmo tempo que essa transformação acontece Morgan Freeman, em papel cada vez mais comum para ele, explica como nós humanos usamos pouco a capacidade do nosso cérebro, aliás, o conjunto Johansson pirando o cabeção freneticamente e o sossego e a tranquilidade de Freeman são a chave do sucesso de boa parte do filme.

Eu disse boa parte, porque são os dois que conseguem segurar o filme, mesmo quando o diretor e roteirista Luc Besson tenta fugir ainda mais da realidade o que, obviamente, acontece depois da cena do avião, ali, infelizmente, o filme entra em outro nível e o que já era exagerado se torna algo demais até para quem vai ver o filme com a mente aberta sabendo o que iria ver na tela.

Felizmente isso acontece já na parte final do filme, que mesmo assim nos reserva bons momentos, como a “viagem” do cérebro de Lucy pelo tempo, uma montagem bem bacana usando a Times Square em NY para tal, sem dizer na boa homenagem feita a 2001: Uma Odisseia no Espaço.

Lucy é bom filme de ação, principalmente até mais da metade, uma vez que mistura elementos da ação e da ficçãoo para criar um filme que nos prende a atenção e empolga em alguns momentos, mas que sai um pouca do caminho e da órbita por passar aquela barreira entre a ficçãoo possível/imaginável e a completamente impossível só imaginável na mente de Luc Besson.

Até,
André C.

Lucy (Lucy – 2014)
Sinopse AdoroCinema.com: Quando a inocente jovem Lucy (Scarlett Johansson) aceita transportar drogas dentro do seu estômago, ela não conhece muito bem os riscos que corre. Por acaso, ela acaba absorvendo as drogas, e um efeito inesperado acontece: Lucy ganha poderes sobre-humanos, incluindo a telecinesia, a ausência de dor e a capacidade de adquirir conhecimento instantaneamente.
Direção: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson
País: França
Duração: 89 minutos
Elenco: Scarlett Johansson (Lucy), Morgan Freeman (Professor Norman), Min-sik Choi (Mr. Jang), Amr Waked (Pierre Del Rio), Julian Rhind-Tutt (The Limey), Pilou Asbæk (Richard), Analeigh Tipton (Caroline), Nicolas Phongpheth (Jii), Jan Oliver Schroeder (German Mule), Luca Angeletti (Italian Mule) e Loïc Brabant (Professor)..

Nota Filme 3.0

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts