As Aventuras de Pi

Aventuras-Pi

Com 11 indicações ao Oscar é claro As Aventuras de Pi é sim um filme especial, porém com alguns problemas que fazem do filme um pouco inconstante no seu começo e no seu final, mas que não tira da obra de Ang Lee a magia por trás da belíssima fábula do pequeno Pi Patel (o ótimo Suraj Sharma) e de seu companheiro de viagem Richard Parker, o belíssimo Tigre de Bengala.

Ang Lee concorre novamente ao Oscar (3 indicação, vencendo por O Segredo de Brokeback Mountain) por mostrar mais uma vez ser um diretor versátil, que não se prende a uma maneira específica de contar uma boa estória, como a que vemos aqui em As Aventuras de Pi, uma belíssima estória sobre fé, religião, amizade e superação. O diretor já merece destaque por escolher o ótimo Suraj Sharma para viver o jovem Pi, que passa boa parte do fime sozinho na tela com criaturas criadas por computadores e pela segunda parte do filme, pós naufrágio, onde vemos o diretor criar uma história espetacular com a ajuda de efeitos especiais.

E por falar em computadores a beleza de Pi está toda na qualidade dos efeitos visuais, para mim favorito ao Oscar 2013, pois não é fácil criar uma atmosfera tão bela, com tanta beleza e magia dentro de um estúdio, pois tudo, mesmo com aquele ar fantástico, parece real, principalmente o tigre Richard Parker, um coadjuvante a altura do talento do jovem Suraj Sharma, que parece incrivelmente real nas suas cenas dentro do barco, assim como os demais bichos, mas tudo isso só funciona, pois a fotografia de Claudio Miranda (também concorre ao Oscar 2013) é impressionante e visualmente espetacular, o conjunto da obra faz de As Aventuras de Pi uma belíssima arte visual que impressiona pela grandiosidade atingida pelos efeitos, fotografia e direção.

Até agora só elogiei o filme, mas disse logo no começo que ele é um pouco inconstante, e que Ang Lee está espetacular na segunda parte do filme, na verdade isso acontece pelo ritmo inicial do filme, apesar dos belíssimos créditos iniciais e das belíssimas imagens da piscina francesa o ritmo do filme atrapalha um pouco, é lento e foca nas duvidas religiosas de Pi sobre quem realmente é Deus, nas crenças das religiões que ele vai descobrindo, claro que em um filme onde a religião e a fé em Deus é algo importante, é necessário que o diretor Ang Lee nos apresentar algumas das religiões do mundo para a segunda parte, porém ele e o roteirista David Magee não o fazem de uma forma dinâmica ou talvez com a força necessária para o que veremos a seguir, não que isso prejudica o que vemos a partir do naufrágio do navio em que Pi se encontrava.

E não prejudica, uma vez que o filme é mágico, é ali que a magia, a força e o domínio de As Aventuras de Pi começa, pois, como já disse, a fotografia, os efeitos visuais e a interpretação forte e emocionante de Suraj Sharma tiram o filme do caminho simples e comum e nos levam para uma experiência cinematográfica espetacular de magia, amizade e principalmente fé na vida seja ela da forma que for Deus, Alá, Jesus, etc.. As Aventuras de Pi se torna um filme maravilhoso no sentido técnico, na forma mágica que o cinema tem em envolver seus amantes pelo munto todo, mesmo que falte um pouco de força ao roteiro, que parece ter um pouco de receio de tratar a religião e a fé mais abertamente, o que vemos na tela é algo impressionante e fantástico.

As Aventuras de Pi, em minha opinião, deve levar os prêmios técnicos na próxima noite do dia 23 , pois é uma realização sensacional, irreal, deslumbrante e devastadora (em 3D mais ainda), e que só não é maior por um pouco de falta de ousadia em tratar a religião e a fé com a mesma coragem que tiveram na criação do mundo fantástico de Pi.

Até,
André C.

As Aventuras de Pi> (Life of Pi – 2012 )
Sinopse: Um menino perde a família em um naufrágio e passa 227 dias à deriva em um bote salva-vidas na companhia de ninguém mais além de um tigre-de-bengala. O garoto sobrevive e hoje é casado e pai de família, e conta sua verdadeira história para um escritor.
Direção: Ang Lee
Roteiro: David Magee baseado em obra de Yann Martel
País: EUA/Taiwan
Duração: 127 minutos
Elenco: Suraj Sharma (Pi Patel), Irrfan Khan (Adult Pi Patel), Adil Hussain (Santosh Patel), Tabu (Gita Patel), Rafe Spall (Writer), Gérard Depardieu (Cook) e Andrea Di Stefano (Priest)

Nota Filme 3.5

Leave a Comment

Por favor preencha o algarismo que falta para enviar o comentário. *

Related posts